terça-feira, 16 de setembro de 2008

O grunge é uma camisa de flanela que não nos serve mais



Com Kurt Cobain, o suicídio virou grande grife dos anos noventa. Toda vez que alguém pensa em gente dependurada em árvore, ou se jogando na frente de um caminhão ou ainda transando com aquela vizinha libidinosa sem a devida proteção, a imagem que vem na cabeça são sujeitos rústicos, com cavanhaques desgrenhados e camisas de flanela.

Todos os meus amigos eram grunges, mas não se mataram e hoje estão casados, e bem à vontade. À vontade até demais, porque jurávamos que aquelas bebedeiras de pinga em shows de rock renderiam algum tipo de subversão no que dizem ser o status quo da vida.

Até hoje não sabemos para onde os suicidas vão, mas quase todos eles vinham de Seattle.

O problema é que os criadores do site www.suicidio.com.br não precisavam ter levado tão a sério essa paunocuzisse ao criar o site mais anos noventa da semana.

Mantenha-se longe de objetos pontiagudos – e péssimos editores de HTML.

Abraços

2 comentários:

LoNtS disse...

Só não entendi o porquê das fotos das crianças no final. Se eu fosse um suicida a idéia de ter filhos só faria eu apertar mais o nó pra ter certeza de que a coisa ia funcionar.
Acho que um filme pornô em streaming já era suficiente.

marina disse...

Olha, eu nem sou suicida nem nada...
mas essa abertura em flash quase me convenceu a dar cabo da minha vida.

 
Free counter and web stats