sexta-feira, 10 de outubro de 2008

SOLUÇÃO PRAZEROSA PARA A SOLIDÃO CORPORATIVA

Quem não aderiu a cultura da banheta que atire a primeira... deixa pra lá.

Uma das tendências que vêm se firmando nas firmas de todo o mundo e está prestes a ser pauta da coluna do max gehringer é a cultura da Banheta, hábito que se difunde há anos a cada dia na cultura corporativa mundial.

É o efeito com a maior capacidade de viralização na história da internet. E não estamos falando apenas de DSTs. O fato é que está passando despercebido pela blogosfera e pela mídia especializada, mais preocupados com os próprios umbigos do que com a satisfação que outras zonas mais erógenas podem causar.

A estimada Banhetinha acaba sendo incorporada no dia a dia de forma abstrata, dentro da magia dos e-mails com conteúdo pornográfico e sites de putaria em geral.

A banheta pode ser enquadrada na mesma categoria da “pausa para um cafezinho” ou “fumar aquele bastonete canceroso no hall do prédio”.

É aquela costumeira e inevitável válvula de escape para dias de trabalho intermináveis.

É a felicidade escondida por detrás de cada decote. Cada sainha. Cada perfume adocicado. Envolvendo no pecado corporativo da Luxúria todos os homens honestos e trabalhadores.

Uma das mais antigas fontes que despertam a vontade de uma banheta é exatamente o conteúdo que está ao nosso redor, seja nas colegas de trabalho que ostentam sexualidade no olhar e volumes consideráveis de silicone (ou não).

Como não se emocionar com aquela colega de trabalho deixando claro, sem rodeios, que está sofrendo de afliceta? É juntar a fome (da moça) com a vontade de comer (a moça)

Seja naquele e-mail sacana que você recebeu na conta do gmail e vai dar uma espiada assim que não tiver ninguém por perto.

Como diria Romário, “BATO UMA, E DÔO UM PÃO AO POBRE
MELHOR QUE VIVER NA ABSTINENCIA A VIDA INTEIRA

Outros fatores podem influenciar a qualidade da sua banheta, mas um definitivo é o tipo de banheiro. Existem por aí banheiros de todos os tipos, desde aqueles com uma banheira do pica-pau, até banheiros com cama ou então uma vista maravilhosa da selva de pedras. Imagine uma banheta com vista para o parque do Ibirapuera numa sexta feira ensolarada? Aquele horizonte pleno de mulheres bem sucedidas, que não precisam mais trabalhar e podem malhar o corPitcho à vontade. Todas elas prontas para servirem de inspiração para um momento mais, digamos, laboral.

O Paunocoolhunter sente muito prazer, não só durante a banheta, mas também ao informar em primeira mão a você, amigo internauta, mais essa super tendência.

colaboraram: mr valegner, chico barney e chaka munchon

Um comentário:

gabriel_muchon disse...

Sempre me emociono com esse texto reflexivo....

 
Free counter and web stats